HISTÓRICO DE SAÚDE FAMILIAR – Saiba montar o seu!

[SAÚDE FÍSICA] por Matheus Ferrari

Conhecer o seu histórico de saúde familiar é crucial para compreender melhor o futuro da sua saúde, dos seus filhos e netos. Você pode não saber, mas doenças crônicas como diabetes, hipertensão, problemas cardiovasculares e até mesmo câncer podem afetar a saúde de todos os membros de uma mesma família. Por isso, obter informações valiosas sobre o histórico de saúde dos seus parentes é um passo importante para manter todos na linha – inclusive você!

FORA O SOBRENOME, O QUE MAIS OS PARENTES TÊM EM COMUM?

Além do mesmo sobrenome, familiares cosanguíneos também compartilham entre si genes, que são estruturas moleculares capazes de gerar proteínas – na maior parte das vezes, funcionais – importantíssimas para a composição e desenvolvimento correto do nosso organismo.

Sabe-se de longa data que os genes são sempre passados dos pais para os filhos, ou seja, de geração em geração, independente de estarem “funcionando” ou não (e é assim que as doenças genéticas são transmitidas – verticalmente – dentro de uma família). Da mesma forma, parentes também costumam compartilhar entre si hábitos culturais, como os de consumo, sono ou alimentação.

Além disso, familiares geralmente moram ou em uma mesma casa ou próximos uns aos outros, e, portanto, acabam entrando em contato com características específicas de um mesmo ambiente – como a alta incidência de raios ultra-violeta (UV), baixa umidade do ar, poluição sonora, auditiva, visual e etc. Esses fatores – somados com a bagagem genética herdada – podem prejudicar a saúde do grupo como um todo, principalmente porque – apesar de ser individualmente – nossos genes “respondem” a grande parte das condições ambientais a que somos diariamente expostos.

PREDISPOSIÇÕES GENÉTICAS – ELAS EXISTEM MESMO?

Muitos dos seus traços físicos como a cor dos seus olhos, do seu cabelo ou pele foram herdados dos seus pais. Ou seja, foram passados dos seus pais para você. Igualmente, você passou (ou passará) os seus genes aos seus filhos e eles – por sua vez – os passarão aos filhos deles e assim sucessivamente.

Bem como os traços físicos, toda a geração familiar PODE ter herdado também riscos ou predisposições genéticas para condições de saúde nada positivas. Além disso, fatores de risco como alimentação inadequada, altos níveis de estresse, tabagismo e consumo exagerado de álcool podem fazer com que doenças – que antes estavam “escondidas” em nossos genes – venham a aparecer na família.

Por isso, conhecer a fundo o seu histórico de saúde familiar permitirá não só que você tenha informações-chave a respeito do seu passado, mas também que obtenha pistas importantes sobre o seu futuro.

COMO DESCOBRIR BOA PARTE DO SEU HISTÓRICO DE SAÚDE FAMILIAR

Uma das melhores formas (e uma das mais divertidas!) de descobrir o seu histórico familiar de saúde é criando uma árvore genealógica – que nada mais é do que uma representação das pessoas que fizeram e fazem parte da família. É importante saber que, neste caso, para descobrir eventuais doenças e predisposições genéticas, apenas os parentes biológicos deverão ser considerados.

> Comece simplesmente desenhando uma árvore e colocando o nome dos seus parentes em cada um dos ramos: nome do pai, da mãe, tios, avós, avôs, primos, etc. Lembre-se de dividir as famílias em lado paterno e materno.

> Depois, anote o que lembrar ou pergunte aos seus familiares mais próximos quais doenças eles têm (ou tiveram) no decorrer de suas vidas, de que os parentes mais antigos e distantes faleceram, quais eram as principais reclamações de saúde deles, etc… e assim sucessivamente.

Você vai se surpreender com a quantidade de informações interessantes das quais vai se lembrar ou receber! A partir daí, você terá uma boa base sobre quais doenças poderá desenvolver no futuro e a como agir para evitá-las.

Em adição, saiba que uma árvore genealógica não precisa ser construída necessariamente para “mapear” doenças familiares. Ela pode ajudar você a descobrir muito mais sobre suas origens e história da sua família – o que pode ser um trabalho muito gratificante ao final do processo de pesquisa e registro.

Fábio Falcão Lucas, um dos gerentes da versão brasileira da Family Search International – site ligado ao maior acervo genealógico do mundo – declara o quanto é importante conhecermos a história da nossa família para encontrarmos a nossa própria:

“As pessoas comumente associam história da família com um gráfico de linhagem a ser preenchido; e preencher um gráfico com dados, por si e em si, soa um tanto desafiador, frio e até cansativo.

Que tal se começarmos a encontrar formas ‘normais e naturais’ de obter informações para só depois registrar o que é importante pra nós e nossas famílias? Daí veremos que, em realidade, o trabalho da história da família é extremamente dinâmico, entusiástico e apaixonante. Por exemplo: converse com os familiares que possam contar histórias de parentes já falecidos. Aprenda sobre as alegrias e desafios que essas pessoas tiveram. Quais eram seus sonhos e aspirações? O que alcançaram em suas vidas? Eventos engraçados? (sempre há algumas pérolas…).

Aproveite para descobrir as datas de nascimento, casamento e falecimento das pessoas cujas histórias acabou de ouvir. Percebe a mudança no foco?

Agora eles não são mais um número ou um nome em um gráfico. Eles são personagens que ajudaram a formar a sua história de vida”.

E aí? Bora começar? :)

Se você gostou do que leu, deixe um comentário abaixo. Ele é muito importante para nós! 😉

——————————-

MATHEUS FERRARI

CTO & Co-founder

NOWA! | Você ainda vai precisar.

http://www.appnowa.com/
https://www.facebook.com/appnowa

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.